Câncer / Diagnóstico

Publicado em 06/02/2014

Revisado em 06/03/2017

Cintilografia e SPECT-TC

A cintilografia, como o PET, é um exame de imagem da Medicina Nuclear que utiliza material radioativo – o radiotraçador – para a avaliação do funcionamento dos órgãos e sistemas.

A realização da cintilografia é muito similar à do PET-TC, pois o material é injetado por via intravenosa e se concentra no órgão a ser avaliado, a partir do qual emite radiação. Os raios gama emitidos caminham na direção do detector de radiações (gama-câmara), que os transforma em imagem.

Cintilografia de um paciente com metástases ósseas de câncer de próstata.

image-598

Cintilografia de um paciente com metástases ósseas de câncer de próstata.

 Os aparelhos mais modernos também possuem um tomógrafo computadorizado acoplado a uma gama-câmara. Por isso, o nome SPECT-TC: SPECT para as imagens funcionais de cintilografia e TC para as da tomografia computadorizada.

capitulo 9-18

image-599

SPECT-TC, apresentando, em cores, um tumor no fígado.

 As cintilografias são realizadas na avaliação de diversas patologias em praticamente todas as áreas da medicina, com destaque para a Oncologia na investigação de tumores e suas metástases e em Endocrinologia no estudo e tratamento do câncer da tireoide.

Na Oncologia, a diferença entre os exames de cintilografia e PET se faz quanto à localização e ao tipo de tumor a ser avaliado.

O EXAME

Na maioria, os radiotraçadores são injetados na veia. Dependendo do tipo de estudo, porém, o material também pode ser administrado por via oral ou inalatória. [relacionados]

A necessidade de suspender medicações antes do exame deve ser discutida com o médico.

Em Oncologia, não costuma haver necessidade de preparos especiais. Na área da Endocrinologia, podem ser indicadas dietas pobres em iodo e até a suspensão do uso de hormônios da tireoide.

OS BENEFÍCIOS

O exame é indolor e tem boa tolerabilidade, sem despertar crises de claustrofobia. Os radiotraçadores administrados não alteram o funcionamento do organismo. Os exames de Medicina Nuclear podem ser realizados mesmo nos casos de insuficiência renal.

A cintilografia demonstra o funcionamento dos órgãos e sistemas do corpo de forma segura e não invasiva. A exposição à radiação é relativamente baixa; casos de reações alérgicas são muito raros.

Apesar do custo elevado, os exames costumam ser liberados pelas seguradoras e pelo Sistema Único de Saúde.

OS RISCOS

Praticamente não existem riscos na realização das cintilografias. Como já foi comentado, os casos de alergia são raros e a taxa de exposição à radiação é baixa.

AS LIMITAÇÕES

O material radioativo tem custo elevado e deve ser entregue semanalmente nas clínicas de Medicina Nuclear. Como é produzido apenas nos grandes centros, há maiores custos e dificuldade de acesso nas cidades do interior.

Mulheres grávidas ou que estiverem amamentando têm certas restrições na realização de alguns exames e procedimentos.