Câncer / Diagnóstico

Publicado em 06/02/2014

Revisado em 08/03/2017

Ultrassonografia

A ultrassonografia se baseia nos mesmos princípios dos radares e sonares utilizados pelas embarcações de pescadores, assim como o sistema de localização usado pelos morcegos.

Quando uma onda sonora atinge um objeto, sofre reflexão, produzindo ecos. Com um detector capaz de captar esses ecos é possível determinar a distância a que o objeto se encontra do ponto de emissão da onda, bem como suas dimensões, forma e consistência (se é sólido, cheio de líquido ou ambos).

No exame ultrassonográfico, um transdutor que emite ondas sonoras de alta frequência (inaudíveis) e registra seus ecos é pressionado contra a pele, para orientá-las na direção dos órgãos que pretendemos estudar. Há vários tipos de transdutores, que emitem diferentes faixas de frequência, cabendo ao médico escolher o melhor para cada tipo de exame, de acordo com a estrutura a ser avaliada. Os transdutores podem ser lineares, para uso superficial, ou então endocavitários, empregados nos exames transretal e transvaginal.

capitulo 9-8

image-576

Tipos de transdutores.

Quando as ondas retornam dos órgãos internos, tecidos e fluidos, o microfone sensível do transdutor registra pequenas mudanças na qualidade e na direção do som.

Essas ondas são instantaneamente transferidas para um computador, que criará imagens no monitor, em tempo real. Um ou mais quadros das imagens em movimento são geralmente capturados como imagens estáticas, para devida documentação do exame e envio ao médico que o solicitou, juntamente com um laudo escrito pelo radiologista.

Existe um tipo especial de ultrassonografia que leva o nome de ultrassonografia Doppler, na qual é medida a direção e a velocidade das células sanguíneas enquanto se movem pelo interior dos vasos, porque, ao movimentar-se, elas provocam mudanças no som das ondas refletidas, o chamado efeito Doppler.

Um computador recolhe, processa esses ecos e cria gráficos ou imagens de cores que representam o fluxo de sangue nos vasos estudados.

capitulo 9-9

image-577

Imagem de ultrassonografia Doppler.

O EQUIPAMENTO

Os componentes do equipamento são montados num “carrinho” com rodas. As ondas ultrassonográficas são analisadas em tempo real por um médico, que fotografa as imagens mais representativas.

Equipamento de ultrassonografia.

Equipamento de ultrassonografia.

O EXAME

O exame é realizado com o paciente deitado numa maca, colocada ao lado do aparelho, em ambiente mantido na penumbra para permitir melhor visualização das imagens que serão projetadas na tela.

O médico aplica um gel inodoro na pele da região a ser examinada, para que o transdutor emita as ondas sonoras com menos interferências e deslize com mais facilidade.

A ultrassonografia transvaginal é executada de modo similar ao dos exames ginecológicos. Ela requer a introdução do transdutor na vagina, após a paciente esvaziar a bexiga. A ponta do transdutor é menor do que a do espéculo utilizado nos exames de prevenção. O transdutor é recoberto com uma capa protetora e lubrificado com uma pequena quantidade de gel antes de ser inserido na vagina.

Transdutor transvaginal.

Transdutor transvaginal.

 

O exame é realizado com a paciente deitada de costas, com o abdômen para cima, em posição semelhante à ginecológica. Apenas uma parte de 5 a 8 cm da extremidade do transdutor é inserida. As imagens são obtidas em diferentes orientações para melhor visualização do útero e dos ovários.

Na ultrassonografia transretal, o paciente deita-se de lado, de costas para o examinador, com os joelhos e quadris ligeiramente flexionados. A sensação pode ser desagradável, mas o exame não provoca dor.

Na prática, a ultrassonografia é empregada principalmente para avaliar os órgãos das cavidades abdominal e pélvica. A ultrassonografia do tórax geralmente é indicada para avaliar acúmulo de líquido na cavidade pleural.

A ultrassonografia também é utilizada para orientar o posicionamento das agulhas nas biópsias de estruturas internas ou dos cateteres nos procedimentos minimamente invasivos.

Ultrassonografias com Doppler são muito úteis para diagnosticar tromboses nos vasos dos membros inferiores e superiores, complicações que ocorrem com certa frequência em Oncologia.

Na ultrassonografia abdominal, é recomendável manter jejum de quatro horas, para evitar a interferência dos alimentos presentes no estômago. Alguns centros recomendam tomar dimeticona para auxiliar a eliminação dos gases presentes nas alças intestinais, bem como evitar bebidas gasosas no dia que precede o exame.

O tempo de duração depende da complexidade e das razões pelas quais o exame foi solicitado. A ultrassonografia obstétrica morfológica e a avaliação com Doppler colorido são mais demoradas. Na rotina, a maioria dos exames dura de 20 a 30 minutos.

OS BENEFÍCIOS

A ultrassonografia é exame de custo baixo, não utiliza radiação, pode ser realizada durante a gravidez e permite obter imagens suficientemente claras para identificar tumores e outras doenças instaladas nos órgãos das cavidades abdominal e pélvica.

capitulo 9-12

image-578

É o exame de excelência para o diagnóstico de tromboses nos membros.

OS RISCOS

Não há riscos descritos na ultrassonografia. A experiência com o uso na gravidez é enorme.

AS LIMITAÇÕES

A baixa energia da onda sonora emitida impede sua penetração através dos ossos e dos gases, dificultando o exame de órgãos como os pulmões e as alças intestinais.

Além dessa limitação, à medida que o feixe de som penetra as camadas mais profundas dos tecidos, a resolução da imagem diminui gradativamente, o que reduz sensivelmente a qualidade do exame em pacientes muito obesos.

Como o exame depende do operador, é exigido treinamento adequado do especialista.