Câncer / Notícias

Viviane Pereira

Publicado em 04/02/2019

Revisado em 04/02/2019

“Eu Sou e Eu Vou”: uma campanha mundial para salvar mais de 3,7 milhões de vidas por ano

 

Duas participantes da campanha do Dia Mundial do Câncer mostrando suas carteirinhas da Liga Colombiana Contra o Câncer.

Iniciativa da UICC, da qual o Instituto Vencer o Câncer faz parte, apela a governos, entidades e ao compromisso pessoal para prevenir e combater a doença.

 

O sonho de quem atua na área de Oncologia é que todos os pacientes tenham acesso ao que há de melhor em tratamentos. E mais: que todas as pessoas possam fazer exames e acompanhamentos preventivos para descobrir precocemente o câncer e, assim, aumentar as chances de sobrevivência dos pacientes. Com esses objetivos é realizada uma campanha mundial para melhorar o cenário da doença, no Dia Mundial do Câncer, 4 de fevereiro, liderada pela União Internacional de Controle do Câncer (UICC), da qual o Instituto Vencer o Câncer (IVOC) é um dos membros associados. A entidade estima que com estratégias adequadas de prevenção, detecção precoce e tratamento, mais de 3,7 milhões de vidas podem ser salvas por ano.

A proposta é unir as pessoas pelo mundo para aumentar a visibilidade do câncer de maneira positiva e inspiradora e melhorar a educação sobre a doença. A data marca o início de uma nova campanha, de três anos, com o tema “Eu Sou e Eu Vou” para inspirar ações de pessoas, comunidades e organizações ligadas à saúde, e do governo para aumentar a conscientização e o acesso à detecção com exames e diagnósticos precoces.

“Neste Dia Mundial do Câncer, queremos que as pessoas saibam que muitos tipos de câncer podem ser enfrentados e até curados, principalmente se forem detectados e tratados o mais cedo possível. Ao detectar o câncer no seu estágio inicial, temos uma ótima chance de prevenir milhões de mortes evitáveis em todo o mundo”, afirma Cary Adams, CEO da UICC.

Quando um tumor é diagnosticado nos estágios iniciais, com tratamentos adequados, há uma chance muito maior de sobrevida em cinco anos do que quando ele é descoberto em estado mais avançado. Nos Estados Unidos, por exemplo, a taxa de sobrevida do câncer de colo de útero diagnosticado precocemente é de 93% contra 15% quando a doença já se espalhou para tecidos próximos.

A Presidente da UICC e mãe de um sobrevivente do câncer, Vossa Alteza Princesa Dina Mired, lembra que o câncer cresce com a apresentação tardia da doença. “O atraso permite que ele se espalhe e cause danos sem qualquer oposição. Por isso, neste Dia Mundial do Câncer, peço que todos vocês se eduquem e aprendam os sinais e sintomas do câncer e não tenham medo de procurar ajuda imediatamente. Da mesma forma, peço que os governos priorizem e sistemizem a detecção precoce e programas de exames para fornecer um melhor acesso a esses serviços e dar a todos uma chance de vencer o câncer.”

Em 2018, segundo a IARC – Agência Internacional de Pesquisa em Câncer, que faz parte da Organização Mundial de Saúde, foram mais de 18 milhões de novos casos de câncer no mundo. Desse total, quase 5 milhões de casos de câncer de mama, colo do útero, colorretal e oral poderiam ter sido detectados mais cedo e tratados de forma mais eficaz.

Outra importante bandeira defendida pela entidade e as organizações que atuam em conjunto para melhorar a situação dos pacientes de câncer em todo o mundo é a iniciativa “Tratamento para todos”, um apelo à comunidade internacional para resolver a desigualdade global no acesso aos serviços adequados.

“Os avanços na medicina permitem melhores tratamentos para vários tipos de câncer. A demora da incorporação nos planos de saúde dessas novidades, por exemplo, como os medicamentos anticâncer administrados por via oral, pode prejudicar o tratamento do paciente se ele precisar de um medicamento que não está no rol”, exemplifica o oncologista Antonio Carlos Buzaid, um dos fundadores do IVOC. O médico refere-se ao fato de o paciente só ter acesso pelo plano de saúde aos medicamentos que estão no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde estabelecido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que é atualizado somente de dois em dois anos.

De acordo com as diretrizes definidas pela Organização Mundial de Saúde, a UICC recomenda que os governos:

  • Implementem medidas para reduzir o estigma e melhorar a conscientização pública sobre os sinais e sintomas do câncer;
  • Implementem programas de exames e de detecção precoce com bom custo-benefício;
  • Fortaleçam os mecanismos de encaminhamento dos sistemas de saúde nacionais de pacientes com suspeitas de câncer para instituições que forneçam serviços de diagnóstico e tratamento;
  • Aumentem o investimento em capacidades de diagnóstico.

A importância das atitudes

A nova campanha faz ainda um apelo ao compromisso pessoal e representa o poder das ações realizadas agora para reduzir o impacto crescente do câncer, apela para a consciência de todos, para que cada uma faça a sua parte prevenindo a doença com atitudes saudáveis, como boa alimentação e prática de atividade física.

Destacando a importância do compromisso pessoal e reforçando o poder das ações, o oncologista Fernando Maluf, também um dos fundadores do IVOC, ressalta atitudes importantes dos pacientes diante do tratamento. “É importante manter a calma e ser pró-ativo no processo, buscar informações em fontes confiáveis e fazer as perguntas certas ao médico, para que conheça bem seu tipo de câncer, compreenda a doença e o tamanho do desafio. A informação coloca o paciente no contexto da racionalidade e da realidade, permitindo que desenhe com seu médico a melhor estratégia”, avisa. “Encare o câncer com otimismo, como um desafio a ser vencido e não como ameaça, assumindo que você é parte importante nesse processo”.

O Instituto Vencer o Câncer atua em várias frentes para fortalecer o combate ao câncer no Brasil, entre elas na divulgação de informações confiáveis para que pacientes e familiares possam encontrar apoio e conhecimento para enfrentar melhor a doença. “Creio que a melhor forma de prevenir ou se tratar dessa doença tão impactante para o paciente e familiares é ter acesso a informações confiáveis e atualizadas. Nesse sentido, o Vencer o Câncer contribui de forma essencial, sobretudo para se ter qualidade de vida”, afirma Osmar Rosa Vilela, paciente de câncer de rim.

Para Michele Salek, o IVOC foi fundamental após o seu diagnóstico de câncer de mama. “Com o instituto eu fui começar a descobrir o mundo que me esperava. Os vídeos, as notícias detalhadas, as dicas, tudo contribuiu para que eu me valesse de informações de qualidade para aumentar a minha confiança e adesão ao tratamento”. João Guilherme Becheli, que enfrentou um linfoma de Hodgkin, acredita que informação e confiança são essenciais para um paciente e, consequentemente, para o caminho da cura. “É como um amigo com a palavra segura de um médico sempre à disposição. Assim vejo o IVOC”.

#DiaMundialdoCâncer #EuSouEEuVou

Sobre a União Internacional para Controle do Câncer (UICC)

A União Internacional para Controle do Câncer (UICC) é a maior e mais antiga organização internacional contra o câncer. Fundada em Geneva, em 1933, a UICC tem mais de 1.100 membros em 170 países, conta com o status consultivo na Organização das Nações Unidas (ECOSOC) e tem relações oficiais com as seguintes instituições: OMS, IARC, IAEA, UNODC. A UICC tem mais de 50 parceiros, incluindo associações que trabalham para combater o câncer, além de empresas e fundações. A UICC é um membro fundador da Aliança NCD, McCabe Centre, ICCP e do City Cancer Challenge.

Para estimular os apoiadores em todo o mundo a mostrar seus heróis interiores e juntar suas vozes neste dia, o Dia Mundial do Câncer lançou seu primeiro Filtro de Realidade Aumentada do Facebook.

Para mais informações, visite: worldcancerday.org