Dia a Dia do Paciente / Efeitos Colaterais

Paula Andregheto

Publicado em 05/06/2017

Revisado em 10/05/2017

Gengibre é recomendado para amenizar náuseas

gengibre

Raiz é um importante aliado para amenizar efeitos colaterais durante quimioterapia.

É sempre fundamental ficar atento quanto à alimentação durante um tratamento contra o câncer. Muito do que se encontra na internet sobre o tema é simplesmente falso e pode até prejudicar o estado do paciente. Mas não é o caso do gengibre.

Entre seus benefícios estão o alívio de enjoos, náuseas e vômitos, muito comuns durante o tratamento, além de uma importante ação anti-inflamatória. Algumas pesquisas (ainda em fase pré-clínica) também apontam para sua capacidade de ajudar a combater um típico específico de câncer de mama, mais resistente aos tratamentos comuns.

Essas vantagens fazem com que a raiz seja uma boa opção para o paciente em tratamento. E nem é necessário consumir quantidades elevadas: uma única colher de chá já reduz significativamente os sintomas do enjoo causado pela químio, sentido por cerca de 70% dos pacientes. Por isso, o paciente não precisa se preocupar em tomar o gengibre em cápsulas, por exemplo. A própria raiz pode ser adicionada ao preparo de chás, sucos, milk-shakes ou mesmo em refeições.

Em relação ao tratamento, o cenário é promissor e pesquisas têm avançado também no Brasil. De acordo com os estudos, alguns componentes da raiz podem ajudar a inibir o crescimento de tumores primários de câncer de mama e evitar metástases para ossos, pulmão e cérebro. As pesquisas foram realizadas com animais e indicam que o composto analisado pode causar a morte da célula cancerígena ou a inibição de seu crescimento.

Entretanto, pesquisas precisam de vários anos até que os cientistas tirem suas conclusões. Sem contar que tais perspectivas não devem ser entendidas como se o gengibre curasse câncer. São componentes presentes no vegetal que devem ser estudados a fundo, o que não significa que o consumo da raiz tenha tal efeito. O ideal é que o paciente continue adotando medidas que favoreçam sua qualidade de vida e o sucesso do tratamento, como adotar hábitos saudáveis de alimentação e, na medida do possível, praticar atividades físicas.