Dia a Dia do Paciente / Efeitos Colaterais

Publicado em 05/02/2014

Revisado em 04/01/2016

Queda de cabelo (alopecia)

Radioterapia e quimioterapia causam queda de cabelo e dos pelos porque lesam as células dos folículos responsáveis pelo seu crescimento.

Radioterapia

A radioterapia só faz cair os pelos nos quais os raios incidem. A irradiação de um tumor de pulmão, por exemplo, só fará cair os pelos do tórax incluídos no campo; jamais cairão os cabelos ou os pelos do abdômen, a menos que o paciente receba quimioterapia ao mesmo tempo. A intensidade da queda de cabelo, que ocorre quando o couro cabeludo está incluído no campo de irradiação, depende da dose e do método de tratamento.

Geralmente, o cabelo volta a crescer alguns meses depois do final da radioterapia. Em aproximadamente um ano, o crescimento pode ter sido quase completo. A textura e a coloração dos fios novos podem ser diferentes das anteriores. Quando as doses de radiação são muito elevadas, a queda pode ser irreversível (fenômeno mais raro).

Quimioterapia

[relacionados]

Nem todos os quimioterápicos causam queda de cabelo. Alguns esquemas provocam queda de todos os pelos do corpo, enquanto outros podem poupá-los ou levar à perda parcial. Quando ocorre, a queda de cabelo costuma surgir duas ou três semanas depois de iniciado o tratamento e tende a progredir com a repetição dos ciclos. A quantidade de cabelo perdido dependerá das drogas empregadas, das doses e dos intervalos de administração.

O cabelo recomeça a crescer um a dois meses depois de encerrado o tratamento, voltando ao normal em seis meses a um ano. Para lidar com a queda de cabelo é conveniente:

  • Cortar o cabelo bem curto antes de iniciar o tratamento. Assim, você evitará mudanças mais radicais na aparência quando os cabelos caírem e recuperará mais rapidamente a imagem anterior quando eles crescerem.
  • Usar escovas mais macias e xampus menos agressivos, como aqueles indicados para crianças.
  • Se você planeja usar peruca, compre-a enquanto ainda tem cabelo, para que possa escolher uma da mesma cor.
  • Evitar aplicar produtos químicos que possam agredir o couro cabeludo.
  • Não usar secador muito quente.
  • Usar protetor solar, chapéus, bonés e lenços para proteger o couro cabeludo.
  • Se for raspar a cabeça, faça-o com barbeador elétrico, jamais com lâmina de barbear.
  • Depois do tratamento, evitar alisar ou pintar o cabelo até que os novos fios tenham atingido cerca de 5 a 6 cm.

Caso a preocupação com alopecia seja muito grande, o médico poderá orientar o paciente a respeito do uso de Elasto-gel, uma touca capaz de resfriar o couro cabeludo durante o tratamento quimioterápico, de maneira a reduzir a perda de cabelo durante o tratamento.