/ Nutrição

Paula Andregheto

Publicado em 08/02/2017

Revisado em 14/02/2017

Cuidados com a alimentação de crianças em tratamento

comida criança melancia
Contaminação alimentar é mais comum no verão!

Cuidar da alimentação é fundamental para o sucesso do tratamento de qualquer paciente com câncer, e especialmente importante no caso de crianças. No verão, a preocupação deve ser redobrada, já que é nessa época do ano que ocorrem os maiores índices de contaminação e intoxicação por alimentos, além de quadros de desidratação.

Para que as crianças em tratamento não deixem de aproveitar os dias ensolarados, os pais devem oferecer não apenas água, mas também alimentos que contenham bastante água, contribuindo para a hidratação. Boas opções são frutas como laranja, ameixa, figo, pera e coco verde, legumes como batata, cenoura e tomate, e frango. Todos são alimentos que, que além de hidratar, estimulam o paladar.

De acordo com Andrea Pereira, médica nutróloga da Oncologia do Hospital Albert Einstein e de Obesidade e Cirurgia Bariátrica da Unifesp, uma outra
opção são as águas flavorizadas. “Com a alteração do paladar, os pacientes toleram bem menos a água. Corte um limão ou uma laranja e coloque na água, para que ela pegue o sabor da fruta, ou então coloque um gengibre ou uma pimenta dedo de moça”, complementa.

Os quadros de contaminação e intoxicação alimentar são bastante comuns no verão e podem agravar sintomas como náuseas, vômitos e diarreias. É importante armazenar adequadamente todos os alimentos, pois as altas temperaturas fazem com que eles estraguem mais rapidamente. O ideal é que sejam guardados na geladeira separados uns dos outros, evitando contaminação cruzada (micro-organismos que passam de um alimento para outro).

Deve-se, ainda, higienizar frutas e legumes de maneira adequada, evitando a proliferação de micro-organismos. A recomendação é mergulhar os alimentos em uma vasilha com um litro de água potável e uma colher de sopa de água sanitária (ou duas de vinagre) por 15 a 20 minutos, e depois enxaguar bem. “Há, ainda, compostos prontos, como o hipoclorito de sódio, que podem ser usados por qualquer pessoa”, afirma Andrea.

Alimentos que normalmente são consumidos crus devem ser fervidos ou refogados e colocados na geladeira, para melhorar a aceitação. Ainda de acordo com a nutróloga, frutas com cascas grossas também são menos suscetíveis a contaminações. “Uma melancia, por exemplo, apresenta menos riscos de infecção que um morango, cujo contato com o ambiente será direto”, explica a médica.

Se a criança apresentar náuseas e vômitos, os pais podem oferecer alimentos gelados de maneira fracionada (pequenas porções). Uma alternativa é elaborar suas bebidas favoritas em forma de gelo, como se fossem geladinhos. Além disso, os sucos de frutas cítricas, tão apreciados pelo público infantil, são potentes armas para reduzir enjoos. “E não se esqueça dos sorvetes, principalmente de frutas, que além de alimentar e hidratar irão contribuir para a redução das náuseas”, finaliza Pereira.