Estudos Clínicos / Novidades

4Press

Publicado em 10/04/2017

Revisado em 10/04/2017

Instituto Vencer o Câncer lança Plataforma de Busca Ativa por Estudos Clínicos Oncológicos e Onco-Hematológicos

plataforma busca

Ferramenta é pioneira no país porque é de fácil entendimento para pacientes e familiares.

O Instituto Vencer o Câncer deu mais um importante passo para garantir informação com credibilidade e de fácil entendimento para pacientes brasileiros e familiares: foi lançada a Plataforma de Busca Ativa por Estudos Clínicos Oncológicos e Onco-Hematológicos, uma iniciativa inédita no país. “No Brasil, não existe uma ferramenta de pesquisa para o paciente, por isso, a plataforma do Instituto Vencer o Câncer é importante. Se não há organização de dados ou uma plataforma que reúna esses estudos clínicos, você praticamente elimina a oportunidade do paciente ter acesso a um tratamento novo porque ele não tem como saber”, afirma o hematologista Phillip Scheinberg, integrante do Comitê Científico do Instituto Vencer o Câncer.

Conheça a plataforma.

A plataforma conta atualmente com 41 estudos disponíveis. Esse número vai variar à medida que novos estudos clínicos forem aprovados e outros finalizados. “Uma equipe faz o acompanhamento semanalmente para anunciar os estudos que estão recrutando, quais sãos os critérios de inclusão e exclusão e os centros de pesquisa onde esses estudos estão alocados. Ao mesmo tempo, a equipe verifica quais tiveram seu número de recrutamento alcançado e quais foram encerrados. Após o recrutamento, os estudos permanecem abertos para coleta de dados. Cabe explicar que um estudo clínico tem como objetivo comparar novas drogas com tratamentos padrões, verificar a eficácia e a tolerância e para isso os pesquisadores necessitam do apoio de pacientes, este momento é chamado de coleta de dados. Os estudos em fase de follow ou coleta de dados ficam disponíveis na Biblioteca de Estudos Clínicos do IVOC e quando encerrados serão retirados das plataformas”, explica o oncologista Fernando Maluf, um dos fundadores do Instituto Vencer o Câncer.

A plataforma está hospedada no portal do Instituto Vencer o Câncer (vencerocancer.org.br) e pode ser acessada por qualquer pessoa. O interessado deve preencher os dados solicitados na ferramenta de busca e os estudos clínicos disponíveis para o tipo de câncer que está sendo pesquisado irão aparecer. “O paciente tem acesso virtualmente a estudos de ponta que estão sendo feitos no país. E esse acesso é gratuito. É importante mencionar também que pacientes em estudos clínicos são os mais bem monitorados que existem. As práticas para monitorar o paciente em estudo clínico são rigorosas para que se tenha o melhor resultado possível na coleta de dados e verificação da utilização dessas drogas”, acrescenta Fernando Maluf.

Médicos também podem acessar a plataforma e assim ter conhecimento dos estudos que estão sendo realizados. “É bom para todos. O paciente tem mais informação, fica ciente do que está ocorrendo em termos de inovação e do comparativo entre drogas já consagradas no tratamento do câncer. O médico tem a possibilidade de ofertar um bom protocolo de pesquisa para seu paciente e é bom para os pesquisadores também porque os estudos terão maior divulgação. Além disso, facilita o recrutamento através do que chamamos de indicação de paciente. Ou seja, quando um centro de tratamento não tem aquele estudo o médico pode, se o paciente estiver dentro dos critérios de elegibilidade, indicar esse paciente a outro centro de tratamento onde o estudo esteja recrutando”, ressalta o hematologista Phillip Scheinberg.

A decisão de fazer parte de um estudo clínico tem que ser discutida com o médico que acompanha o paciente. “O contato com o médico é fundamental para discutir as formas de tratamento e definir se o paciente vai ou não entrar num estudo. A conversa do paciente com o médico é importante também porque muitas vezes existe um estudo disponível que o médico ainda não tem conhecimento e o paciente compartilha essa informação com ele”, completa Fernando Maluf.