noticias-estomago / noticias-estomago

4Press

Publicado em 12/05/2017

Revisado em 12/05/2017

Como a bactéria H. pylori pode aumentar o risco de câncer de estômago

estomago bacteria

O câncer de estômago está associado a diversos fatores ambientais e a dieta inadequada talvez seja o mais conhecido. Mas a contaminação pela bactéria Helicobacter pylori (H. pylori) também pode aumentar o risco de aparecimento desse tumor. A infecção ocorre principalmente pela água e alimentos contaminados, pela falta de higiene e pelo contato com vômito ou fezes de pessoas que têm a bactéria. Dentro do organismo, ela se instala no estômago e pode causar gastrite e úlceras. Muitas pessoas, no entanto, convivem com a H. pylori e não apresentam sintomas. “Quando essa bactéria provoca um processo inflamatório crônico, isso aumenta o risco de aparecimento de câncer de estômago”, explica o oncologista do hospital A Beneficência Portuguesa Felipe Moraes Toledo Pereira.

Veja também: Cerca de 30% dos cânceres estão relacionados a dieta inadequada.

A H. pylori é classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como um agente cancerígeno. No entanto, é importante ressaltar que ter a bactéria no estômago não significa necessariamente que a pessoa terá câncer. “Quarenta por cento da população tem H.pylori, mas uma quantidade muito pequena terá câncer. Mesmo assim é um fator de risco importante que merece atenção”, acrescenta o oncologista.

A bactéria está presente principalmente em locais onde não há saneamento básico. Segundo dados do Instituto Trata Brasil, 633 milhões de pessoas no mundo não têm acesso a uma fonte de água potável. No Brasil, 35 milhões de brasileiros não têm acesso ao serviço de água tratada e mais de 100 milhões de pessoas não têm acesso à coleta de esgoto. A pior situação está na região Norte onde apenas 16,42% do esgoto é tratado. “Melhorando os índices de saneamento básico você diminui a circulação da H.pylori na população”, enfatiza o médico Felipe Pereira.

Outros fatores de risco

Há outros fatores ambientais que aumentam o risco de aparecimento de câncer de estômago e a dieta inadequada é o principal deles. Uma alimentação com excesso de sal, embutidos, defumados, vegetais em conserva e produtos enlatados deve ser evitada. Também não é recomendável o consumo de alimentos guardados fora da geladeira ou mal conservados.

“O brasileiro está mudando seu padrão alimentar, comendo mais fast food. Isso é muito ruim. As pessoas precisam incluir mais verduras e frutas na alimentação e ter uma dieta mais saudável”, orienta o médico. As vitaminas A e C, encontradas em frutas e verduras frescas, são consideradas substâncias protetoras contra o câncer de estômago.

O tabagismo é outro fator que aumenta o risco de aparecimento desse tumor. Estudos indicam que a incidência desse câncer em fumantes é duas vezes maior do que em não fumantes.