Câncer / Notícias

4Press

Publicado em 17/05/2018

Revisado em 17/05/2018

Parceria promove pigmentação em mamas de pacientes diagnosticadas com câncer

mama

Para quem tem a mama retirada por causa de um câncer, a reconstrução traz alento. Quando a aréola e o mamilo também são recuperados a autoestima aumenta ainda mais. Uma parceria entre o Instituto Vencer o Câncer, o hospital Pérola Byington e o esteticista e dermopigmentador Orlando Sanches está ajudando mulheres diagnosticadas com câncer de mama a superarem os momentos difíceis do tratamento. O projeto consiste em restaurar a aréola e o mamilo dessas pacientes com a dermopigmentação. “O SUS cobre a cirurgia de reconstrução da mama, mas a pigmentação da aréola e do mamilo não. E eu percebia que muitas mulheres sentiam falta, não viam a mesma imagem de antes no espelho. Então comecei a fazer algumas ações para atender essa necessidade dessas mulheres até conhecer o Vencer o Câncer e começar essa parceria com o hospital Pérola Byington”, conta Orlando.

Leia mais: Conheça os tratamentos utilizados em caso de câncer de mama

A dermopigmentação é uma técnica de pigmentação feita na camada mais superficial da pele e tem proporcionado resultados excelentes para as mulheres que fazem. Geralmente, o procedimento pode ser feito de 6 meses a um ano após a cirurgia de reconstrução da mama. O tom do pigmento que será usado dependerá da cor da pele de cada pessoa. “Antes de passar pelo procedimento, a paciente passa pela avaliação do médico para saber se o tecido já está nas condições adequadas para ser pigmentado. Na sessão, a gente conversa com a paciente, explica o que será feito, mostra o desenho para ela e depois é feita a pigmentação. Depois de 30 dias, ela retorna para uma revisão e se for necessário fazemos o retoque”, explica o dermopigmentador.

Desde o fim do ano passado, 34 pacientes indicadas pelo hospital Pérola Byington já foram atendidas gratuitamente pelo projeto. A aposentada Ivone Ferreira Santos, de 60 anos, é uma delas. Ivone foi diagnosticada com câncer na mama esquerda em 2008. “Não foi fácil, deu um nó na minha cabeça quando descobri a doença. E na hora que o médico falou que eu ia ter que tirar a mama, eu tive uma crise de choro”, lembra. Evangélica, Ivone encontrou na oração e na fé a coragem para enfrentar o tratamento.

A cirurgia de reconstrução da mama não pode ser feita logo após a retirada; Ivone teve que esperar alguns meses até ter as condições adequadas. Depois de feita, ela ainda não sentia completa, pois faltava a aréola e o mamilo. Neste ano, surgiu a oportunidade de fazer a dermopigmentaçao e o resultado não poderia ter sido melhor. “Eu entrei no consultório um pouco ansiosa e com medo que doesse, mas foi tranquilo, toda equipe é maravilhosa. E quando me mostraram no espelho eu fiquei maravilhada, me senti com mais dignidade, levantou meu astral”, conta a aposentada.

A sessão dura mais ou menos duas horas e é realizada num consultório do hospital Pérola Byington. Na maioria das mulheres, é feita a pigmentação nas duas mamas para que fiquem o mais semelhante possível. Após o procedimento, as pacientes são orientadas sobre cuidados que devem adotar em casa, como não tomar banho muito quente nem Sol durante 10 dias. “Nenhum serviço hospitalar oferecia isso até fazermos essa parceria com Instituto Vencer o Câncer e o Pérola Byington. Para mim, a experiência está sendo maravilhosa. Eu me emociono até hoje com a reação das pacientes”, diz Orlando.