noticias-prostata / noticias-prostata

Juliana Conte

Publicado em 11/11/2015

Revisado em 08/03/2017

Câncer de próstata: o que você precisa saber

O câncer de próstata é o tumor que mais acomete o público masculino (1 em cada 6 homens poderão ser diagnosticados com a enfermidade). Falta de informação, preconceito ou simplesmente não estar atento aos sintomas indicadores da doença são alguns dos motivos para esse tipo de câncer ser um dos que mais matam no país. Por isso, prevenção ainda é o melhor remédio.

A seguir, alguns fatos importantes sobre a doença:

1. A maioria dos homens nunca se consultou com um urologista

Pesquisa recente da sociedade Brasileira de Urologia aponta que mais de 50% dos homens nunca foram ao urologista. Falta de tempo é a razão mais apontada por eles (33%), seguida de perto pela ausência de motivos (32%) ou por medo (15%). O dado é preocupante, pois o médico urologista não trata somente de assuntos referentes a próstata. Na verdade, ele realiza o diagnóstico de problemas relacionados ao trato urinário de homens e mulheres, além do sistema reprodutor masculino.

2. Câncer de próstata não é sinônimo de morte

O câncer de próstata pode ser uma doença grave, que requer tratamentos invasivos como a cirurgia, mas a grande maioria dos homens diagnosticados não morre por causa dele.

3. É um tipo de tumor silencioso

O câncer de próstata em estágio inicial, geralmente, não causa sintomas (ele demora, em média, quatro anos para começar a se manifestar). Entretanto, quando a doença começa a entrar num estágio avançado, alguns problemas se tornam visíveis, como: o jato de urina fica fraco e há dor durante a micção, impotência, presença de sangue na urina ou sêmen. Entretanto, tais sintomas também podem ser semelhantes com aos da hiperplasia benigna (que não é câncer). Por isso, não fique com dúvida. Sempre que surgir um desses sintomas, procure imediatamente um médico.

4. Tenho 50 anos. Devo fazer o exame de toque?

A Sociedade Brasileira de Urologia preconiza a ida a um urologista para avaliação da próstata a partir dos 50 anos. Caso algum parente de primeiro grau (pai, irmão, tio) tenha tido a doença ou se você tiver a pele negra, a consulta deve ocorrer a partir dos 45 anos, visto que o risco de ter a doença é maior nesses grupos.

O Inca (Instituto Nacional do Câncer), órgão vinculado ao Ministério da Saúde, por sua vez, não faz nenhuma determinação em relação à idade. Segundo a entidade, por não haver até o momento evidências científicas de que o rastreamento do câncer de próstata possa produzir mais benefícios que danos, não é recomendado que se organizem ações de rastreamento para o câncer da próstata. O instituto ainda orienta que homens que demandam espontaneamente a realização de exames sejam informados por seus médicos sobre os riscos e benefícios associados a essa prática.

Sob um viés populacional e de política pública, tal posição faz sentido. Mas em caráter individual, deve-se levar em conta que cerca de 20% dos tumores de próstata são agressivos, e nesses casos descobrir o quanto antes faz a diferença. Tome sua decisão com consciência.

 5. 15 segundos

15 segundos. Esse é o tempo estimado para fazer o exame de toque. A única coisa que o especialista faz é introduzir o dedo na região retal (canal que liga o ânus ao reto) para verificar se existe alguma alteração na próstata. Rápido e praticamente indolor, não tem nada a ver com a sexualidade. É questão de saúde.