Tipos de câncer / Câncer de cabeça e pescoço



Dr. William William.

Dr. William William

Dr. William William é diretor de Oncologia e Hematologia do Hospital BP, a Beneficência Portuguesa de São Paulo, e professor associado adjunto do MD Anderson Cancer Center. É especialista em câncer de pulmão, câncer de cabeça e pescoço e pesquisador clínico e translacional nessas áreas.

Câncer de cabeça e pescoço | Tratamento

ESTADIAMENTO

Uma descrição resumida do estadiamento dos diversos tipos de câncer de cabeça e pescoço está apresentada abaixo:

Estadiamento do câncer de cabeça e pescoço.

Estadiamento do câncer de cabeça e pescoço.

 

TRATAMENTO

 

O tipo de tratamento é definido a partir do estágio e local em que a doença se apresenta. O tratamento abordado neste capítulo refere-se exclusivamente ao carcinoma escamoso de cabeça e pescoço, que corresponde a mais de 90% dos casos.

 

Estádios I e II

Em relação aos tumores de cavidade oral, a cirurgia é o tratamento mais apropriado, associado a esvaziamento cervical, ou seja, retirada dos linfonodos do pescoço, na maioria dos casos, principalmente naqueles com lesões profundas, maiores que 4mm. A radioterapia pós operatória está indicada para pacientes com margens de ressecção comprometidas em que não é possível ampliação e também pode ser considerada para as lesões profundas, com invasão de nervos ou vasos sanguíneos.

Em relação aos tumores de orofaringe HPV negativo, cirurgia e radioterapia tem bons resultados e estes, são semelhantes a longo prazo, devendo a escolha entre um tratamento ou outro ser individualizada para cada paciente. Por outro lado, os pacientes com tumores de orofaringe HPV positivo em geral tem indicação de receber radioterapia, com ou sem quimioterapia associada, com excelentes resultados em relação à sobrevida.

Os tumores de hipofaringe diagnosticados precocemente, nos estágios I e II são raros e quando ocorrem devem ser manejados com radioterapia, com ou sem quimioterapia. A radioterapia tem resultados semelhantes a cirurgia radical.

Os tumores de laringe nos estágios I e II devem ser tratados com radioterapia isolada ou cirurgia, sendo que além da cura o tratamento deve ter como objetivo a preservação da funcionalidade do órgão.

 

Tumor pequeno confinado ao local de origem e o tratamento específico para esta fase da doença.

Tumor pequeno confinado ao local de origem e o tratamento específico para esta fase da doença.

 

Tumor maior invadindo estruturas muito próximas e o tratamento específico para esta fase da doença.

Tumor maior invadindo estruturas muito próximas e o tratamento específico para esta fase da doença.

Estádios III e IVA

Quando o tumor está nos estágios III e IV, caracterizando doença localmente avançada, o carcinoma de células escamosas de cabeça e pescoço está associado a alto risco de recidiva local e metástases à distância. Nesses casos para os tumores de cavidade oral, o tratamento principal é cirúrgico com esvaziamento cervical seguido de radioterapia com ou sem quimioterapia a depender dos riscos de recorrência.

Para tumores de orofaringe, o tratamento de escolha deverá ser radioterapia e quimio concomitantes. Em alguns pacientes, mais jovens, sem muitas comorbidades e com tumores volumosos, recomenda-se quimioterapia de indução, ou seja, a quimioterapia feita antes do tratamento definitivo, seguida de radioterapia ou radio e quimio concomitantes. Se a doença persister localmente ou em linfonodos após a radioterapia, deverá ser considerado o resgate cirúrgico.

Para os tumores de hipofaringe e laringe, quando a preservação de funcionalidade é possível, deve ser considerada radio e quimio concomitantes ou quimio de indução seguida de radioterapia. Neste caso também, se a doença persistir localmente ou em linfonodos, o resgate cirúrgico deverá ser considerado. Nos casos em que não for possível preservar a funcionalidade do órgão, está indicada a cirurgia seguida de radioterapia, a qual será associada quimioterapia quando as margens cirúrgicas estiverem comprometidas ou quando o comprometimento dos linfonodos tiver extensão extra nodal.

umor atingindo alguns linfonodos do pescoço e o tratamento específico para o Estádio III, e tumor comprometendo vários linfonodos cervicais ou invadindo várias estruturas vizinhas (Estádio IVA).

Tumor atingindo alguns linfonodos do pescoço e o tratamento específico para o Estádio III, e tumor comprometendo vários linfonodos cervicais ou invadindo várias estruturas vizinhas (Estádio IVA).

 

Em relação aos tumores em estágio IV, com metástases à distância, a escolha de tratamento é individualizada com preferência a esquemas de poliquimioterapia para os pacientes que apresentam muitos sintomas e tem bom estado geral. Estes esquemas são baseados em platina e associados a cetuximabe. A imunoterapia também pode ser utilizada.

 

Estádio IVB

 

Tumor que já chegou a órgãos distantes, como pulmões, fígado e ossos (Estádio IVB), e o tratamento específico para estas fases da doença.

Tumor que já chegou a órgãos distantes, como pulmões, fígado e ossos (Estádio IVB),
e o tratamento específico para estas fases da doença.

 

Importante ressaltar que o tratamento para câncer de cabeça e pescoço é multidisciplinar a fim de gartantir melhor planejamento do plano de cuidados desde o diagnóstico ao tratamento. Assim sendo, a escolha do tratamento ideal requer informações multidisciplinares tais como localização do tumor primário e a extensão da doença, características individuais do paciente como idade, presença de comorbidades clínicas, e as expectativas e preferências diante do tratamento além das prováveis ​​conseqüências funcionais e morbidade de cada abordagem de tratamento.