noticias-gist / noticias-gist

Publicado em 03/07/2017

Revisado em 03/07/2017

GIST | Tratamento

Quando o GIST ainda está localizado, seu tratamento envolve cirurgia para retirada completa da lesão. Algumas vezes a cirurgia pode ser extensa, com retirada de vários órgãos. Posteriormente, o oncologista avaliará algumas características do tumor e, caso seja considerado de alto risco para recorrência, o médico pode prescrever imatinibe por 3 anos para tentar reduzir o risco de o tumor voltar. Esse medicamento inibe a proliferação do GIST ao inibir a via do gene KIT.

Por outro lado, quando o GIST já se espalhou para outros órgãos, o tratamento costuma envolver imatinibe por tempo indeterminado. Quando o imatinibe para de funcionar, algumas opções envolvem aumentar a sua dose, prescrever um outro remédio chamado sunitinibe ou eventualmente encaminhar o paciente para participar de um estudo clínico. Mais recentemente, foi aprovado no Brasil o regorafenibe, que se mostrou bastante eficaz nos casos em que o paciente já falhou ao imatinibe e ao sunitinibe.